Artigos Científicos

How Many Steps/day are Enough? For Adults

Physical activity guidelines from around the world are typically expressed in terms of frequency, duration, and intensity parameters. Objective monitoring using pedometers and accelerometers offers a new opportunity to measure and communicate physical activity in terms of steps/day. Various step-based versions or translations of physical activity guidelines are emerging, reflecting public interest in such guidance. However, there appears to be a wide discrepancy in the exact values that are being communicated. It makes sense that step-based recommendations should be harmonious with existing evidence-based public health guidelines that recognize that “some physical activity is better than none” while maintaining a focus on time spent in moderate-to-vigorous physical activity (MVPA). Thus, the purpose of this review was to update our existing knowledge of “How many steps/day are enough?”, and to inform step-based recommendations consistent with current physical activity guidelines.

Physical Activity Interventions in Latin America

Recommendations for physical activity in the Guide to Community Preventive Services (the Community Guide) have not been systematically examined or applied in developing countries such as those in Latin America. The aim of this systematic review was to assess the current evidence base concerning interventions to increase physical activity in Latin America using a modified Community Guide process and to develop evidence-based recommendations for physical activity interventions.

Intervenções em Atividades Físicas na América Latina

As recomendações referentes à atividade física existentes no Guide to Community Preventive Services (Guia para Serviços Preventivos em Comunidades), também designado Community Guide (Guia da Comunidade) não foram examinadas ou aplicadas sistematicamente em países em desenvolvimento, como os da América Latina. O objetivo desta revisão sistemática foi avaliar as bases das evidências atuais concernentes às intervenções para aumentar a atividade física na América Latina usando um processo modificado do Community Guide e desenvolver recomendações baseadas em evidências para as intervenções em atividade física.

Intervenciones en Actividad Física en América Latina

En los países en vía de desarrollo, como los de América Latina, no se han examinado o aplicado sistemáticamente las recomendaciones en materia de Actividad Física de la Guía de Servicios Preventivos para la Comunidad, en ingles Guide to Community Preventive Services (en adelante Community Guide). El objetivo de la presente revisión sistemática era evaluar la actual base de datos basada en la evidencia con respecto a las intervenciones para aumentar la actividad física en América Latina usando un proceso modificado de la Community Guide y formular recomendaciones basadas en la evidencia para las intervenciones en actividad física.

Evaluation of a physical activity promotion program: The example of Agita São Paulo

Considering all the scientific evidence available over the last few decades, the positive relationship between physical activity (PA) and health has been clearly established. Epidemiological data show that PA is related to the prevention, control, treatment and rehabilitation of the main non-communicable chronic diseases (NCCD).

Association between levels of physical activity and use of medication among older women

The aim of this study was to determine the association between levels of physical activity and usage of medication in older women. The level of physical activity was assessed using a pedometer. Use of medication was assessed through medical records supplied in reports kept by the Family Health Program, City Health Department, São Caetano do Sul, São Paulo State, Brazil.

Brazilian fitness programme registers health benefits

An initiative to increase the amount of physical activity undertaken in Brazil is improving citizens health and providing a model for other nations. Carlos Henrique Fioravanti reports.

Questionário IPAQ - versão longa

Nós estamos interessados em saber que tipos de atividade física as pessoas fazem como parte do seu dia a dia. Este projeto faz parte de um grande estudo que está sendo feito em diferentes países ao redor do mundo. Suas respostas nos ajudarão a entender que tão ativos nós somos em relação à pessoas de outros países. As perguntas estão relacionadas ao tempo que você gasta fazendo atividade física na ÚLTIMA semana. As perguntas incluem as atividades que você faz no trabalho, para ir de um lugar a outro, por lazer, por esporte, por exercício ou como parte das suas atividades em casa ou no jardim. Suas respostas são MUITO importantes. Por favor responda cada questão mesmo que considere que não seja ativo. Obrigado pela sua participação!

Questionário IPAQ - versão curta

Nós estamos interessados em saber que tipos de atividade física as pessoas fazem como parte do seu dia a dia. Este projeto faz parte de um grande estudo que está sendo feito em diferentes países ao redor do mundo. Suas respostas nos ajudarão a entender que tão ativos nós somos em relação à pessoas de outros países. As perguntas estão relacionadas ao tempo que você gasta fazendo atividade física na ÚLTIMA semana. As perguntas incluem as atividades que você faz no trabalho, para ir de um lugar a outro, por lazer, por esporte, por exercício ou como parte das suas atividades em casa ou no jardim. Suas respostas são MUITO importantes. Por favor responda cada questão mesmo que considere que não seja ativo. Obrigado pela sua participação!

Nível de atividade física e acúmulo de tempo sentado em estudantes de medicina

Verificar, no período de dez anos, o comportamento do nível de atividade física e do acúmulo de tempo sentado em estudantes de Medicina. Métodos: A amostra foi composta por 186 estudantes do terceiro ano em 2000-2001 (grupo I) e em 2011 (grupo II) com média de idade de 21,23 ± 1,38 anos. Os dados do nível de atividade física e do tempo sentado foram coletados através do questionário IPAQ (versões curta e longa). Os questionários foram aplicados individualmente e foram auto preenchidos. Análise estatística: Os resultados foram descritos através de frequência e porcentagem do nível de atividade física e média e desvio padrão para o acúmulo de tempo sentado. A comparação foi feita através do teste do qui-quadrado e do teste t para amostras independentes, sendo o nível de significância adotado de p < 0,05. Resultados: No período de dez anos foi encontrada uma diminuição acentuada e significante de 27,4% entre os indivíduos que atingiram as recomendações no grupo I (75,2%) em relação aos que atingiram no grupo II (47,8%). O acúmulo de tempo sentado não apresentou diferenças significantes, sendo as médias encontradas de =8,92 e =8,72 horas para dias de semana e de =7,27 e =7,70 horas para dias do fim de semana. Conclusão: Após dez anos, os estudantes de medicina apresentaram menor nível de atividade física sendo que não houve mudança no acúmulo de tempo sentado.