Tempo gasto em comportamento sedentário e mudanças do IMC na infância: um estudo longitudinal de 9 a 15 anos de idade

O resumo do presente artigo, buscou determinar a associação entre o tempo sedentário e potenciais mudanças no IMC de crianças de adolescentes entre 9 e 15 anos ajustado por nível de atividade física, gênero, raça, educação materna, horas de sono e índice de saúde. O estudo demonstrou que crianças que gastaram mais tempo em comportamento sedentário (h por dia) demonstrou estar associado com aumentos adicionais em IMC aos 90º, 75º e 50º percentis de IMC, independente de Nível de AF. Não foram observadas associações entre comportamento sedentário e mudanças ao 25º e 10º percentis de BMI. O nivel de AF foi mensurado utilizando acelerometros (ActiGraph GTM1, ActiGraph LLC).

PEDIATRIC ORIGINAL ARTICLE
Time spent in sedentary behavior and changes in childhood
BMI: a longitudinal study from ages 9 to 15 years
JA Mitchell1, RR Pate1, MW Beets1 and PR Nader2
International Journal of Obesity (2013) 37, 54--60; doi:10.1038/ijo.2012.41; published online 20 March 2012

Tempo gastou em comportamento sedentário e mudanças do IMC na infância: um estudo longitudinal de 9  a 15 anos  de  idade.

OBJETIVO Determinar se tempo gasto em comportamento sedentário objetivamente medido é associado com uma mudança no índice de massa corporal  (IMC) entre 9 e 15 anos, ajustando para atividades físicas de moderado-para-vigorosa (MVPA).

DELINEAMENTO Estudo Observacional previdente em crianças nas idades 9 (2000), 11 (2002), 12 (2003) e 15 anos (2006). Foi utilizado um modelo preditor de Regressão Longitudinal  para identificar a influência das potenciais mudanças nos percentil 10º, 25º, 50º, 75º e 90º IMC,  com o passar do tempo.

SUJEITOS A amostra foi constituída por participantes do (NICHD) de um estudo realizado no Instituto Nacional de Saúde de Criança e Desenvolvimento de Humano - Estude Sobre Saúde de criança e Desenvolvimento de Adolescentes, inclui meninos e meninas.

MEDIDAS Foi medido IMC; Comportamento sedentário medido como preditor principal, ajustado  para MVPA, gênero, raça, educação materna, horas de sono e  índice de saúde.

RESULTADOS Foram observados aumentos em BMI a todo o percentis, com o maior aumento observado ao Percentil  90º IMC.

Gastando mais tempo em comportamento sedentário (h por dia) era associado com aumentos adicionais em BMI aos 90º, 75º e  50º percentis de BMI, independente de MVPA e o outro covariantes (90º percentile¼0.59, 95% intervalo de confiança (95% CI): 0.19--0.98 kgm--2; 75º percentile¼0.48, 95% CI,: 0.25--0.72 kgm--2; e 50º percentile¼0.19, 95% CI,: 0.05--0.33 kgm--2). Não foram observadas associações entre comportamento sedentário e mudanças ao 25º e 10º percentis de BMI.

CONCLUSÃO Comportamento sedentário era associado com maiores aumentos em BMI aos 90º, 75º e 50º percentis de IMC,  entre idades 9 e 15 anos, independente de MVPA. Prevenindo um aumento em comportamento sedentário de infância para  adolescência pode contribuir a reduzir o número de crianças classificado como obeso.

Comentários (0)

Deixe um comentário

Você está comentando como visitante.