Mais de 1,4 bilhões de pessoas estão sob risco de enfermidades por serem Sedentárias

A Publicação que a Organização Mundial da Saúde faz hoje no Lancet Global Health fala sobre a "Tendência da Inatividade Física de 2001 a 2016".

Baseada em uma amostra que envolveu mais de 1,9 milhões de pessoas de todo o mundo, a publicação informa que mais de 1,4 bilhões de adultos estão em risco de doença por não fazer atividade física suficiente.

  • Sem melhora nos níveis globais de atividade física desde 2001.
  • Em todo o mundo, cerca de 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 4 homens não praticam atividade física suficiente para se manter saudável.
  • Os níveis de atividade física insuficiente são mais de duas vezes maiores em países alta renda em comparação com países de baixa renda, e aumentou 5% em países de alta renda entre 2001 e 2016.
  • As maiores taxas de atividade insuficiente em 2016 foram encontradas em adultos em Kuwait, Samoa Americana, Arábia Saudita e Iraque, onde mais da metade de todos os adultos estavam insuficientemente ativos. Comparativamente, cerca de 40% dos adultos nos EUA UU., 36% no Reino Unido e 14% na China não estavam suficientemente ativos.


Mais de um quarto (1,4 bilhão) da população adulta mundial esteve insuficientemente ativa em 2016, colocando-os em maior risco de doença cardiovascular, diabetes tipo 2, demência e alguns tipos de câncer, de acordo com o primeiro estudo para estimar as tendências de atividade no tempo.

DOWNLOAD ARTIGO COMPLETO