Atividade física e uso de medicamentos

Artigo Publicado em rEV. Diagn Tratamento. 2018;23(4):152-9. Escrito por Mauricio dos Santos, Victor Keihan Rodrigues Matsudo


RESUMO
A atividade física está associada a menores incidências das doenças crônicas não transmissíveis e de mortalidade precoce. A adoção de um estilo de vida ativo tem sido uma estratégia não medicamentosa frequentemente utilizada com o objetivo de prevenir e tratar diversas doenças como hipertensão, diabetes, câncer e obesidade. Existem evidências que apontam menor consumo de medicamento entre os sujeitos mais ativos. Não obstante, pesquisas têm apontado bons resultados ao controlar certas doenças, principalmente em seus iniciais, com exercícios físicos, mais do que com o uso de medicamento. De fato, diversas diretrizes recomendam a atividade física como forma efetiva e segura de tratamento, além de, em muitos casos, ser uma das primeiras estratégias para combater as doenças.

PALAVRAS-CHAVE: Exercício, estilo de vida sedentário, exercício, preparações farmacêuticas, prevenção de doenças, terapêutica

download

Celafiscs

Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul

Rua Santo Antonio, 50
5o andar - Salas 504/505
Centro - São Caetano do Sul - SP
CEP 09521-160 (prédio da USCS)

Dúvidas ou sugestões

Fone: +55 (11) 4239-3211
WhatsApp: +55 (11) 93412-7569

Receba novidades

Fique por dentro!

inscreva-se para receber nossas notificações.