Consumo alimentar, atividade física e percepção da aparência corporal em adolescentes

Artigo publicado na RBCM em 2000. Escrito por Glaucia Figueiredo Braggion, Sandra M. Mahecha Matsudo e Victor K. Rodrigues Matsudo


Resumo: Para conhecer os padrões de consumo alimentar,
os estágios de comportamento relativos à atividade física e
as características antropométricas em uma população de
adolescentes segundo a auto-percepção da aparência
corporal foram avaliadas 28 adolescentes do sexo feminino
de 14 a 17 anos de idade (x = 16,16 + 0,83) agrupadas de
acordo com a auto-avaliação da aparência corpral em: G1-
gorda, G2- peso normal e, G3- magra. Para estabelecer o
consumo alimentar diário utilizou-se o registro alimentar de
quatro dias. As variáveis antropométricas medidas foram
peso, estatura, adiposidade mediante a média de sete dobras
cutâneas e o índice de massa corporal. A maturação sexual
foi estabelecida por auto-avaliação de acordo com os
estágios de Tanner (pêlos púbicos x = 5,5 + 0,9 e mamas x =
5,0 + 0,5). A análise estatística utilizada foi Anova Oneway,

com post-hoc Scheffé. O nível de significância adotado
foi p < .01. O grupo “gorda” apresentou valores maiores
porém não significantes de peso, estatura e IMC e valores
significantemente mais altos de adiposidade que os demais
grupos. O consumo de energia foi menor no grupo “gorda”
em relação aos demais e no “normal” em relação ao
“magra”. Outro fator da ingestão do grupo “gorda” é o
resultado apresentado na auto-avaliação do peso corporal,
que pode estar interferindo na redução da ingestão alimentar
das adolescentes objetivando controlar o peso considerado
alto. No comportamento relativo à atividade física, a
maioria das adolescentes não parece ser ativa já que se
encontram no estágio pré contemplativo.
Unitermos: Adolescência, aparência corporal, ingestão
alimentar, atividade física.

download