Gasto energético estimado de mulheres idosas em aulas de ginástica e durante a caminhada

Artigo publicado na Rev Bras Ativ Fís Saúde 2002. Escrito por Fernanda Cruciani, Timóteo Araújo, Sandra Matsudo, Victor Matsudo, Aylton Figueira Junior, Vagner Raso


O objetivo do presente estudo foi comparar o gasto energético entre a caminhada realizada como meio de trans­porte e as aulas de ginástica em mulheres idosas. Foram avaliadas 17 mulheres com idade média de 65 ± 5,5, 70,0 ± 10,8 kg de massa corporal, estatura 156,5 ± 6,8 cm e adiposidade 22,1 ± 2,5 mm. Todas participavam de um programa de atividade física em um Centro de Terceira Ida­de do Município de São Caetano do Sul. Para determinar o gasto energético da caminhada utilizada como meio de transporte e das aulas de ginástica (x = 53,3 ± 4,8 min) foi utilizado o (Computer Science & Applications – CSA) um sensor que quantifica os movimentos e estima o gasto energético em kilocalorias. Para análise dos dados foi uti­lizado o teste “t” de student para amostras dependentes e o nível de significância adotado foi p < 0,05. Durante a ca­minhada de ida para as aulas de ginástica e volta para casa, o número de movimentos foi de 1673 ± 929,4 counts por minuto e durante as aulas de ginástica foi 905,1 ± 374,5 counts por minuto (p<0,05). Em relação ao gasto energético (kcal), os valores médios na caminhada de ida e volta foram 2,21 ± 1,31 kcal por minuto e durante as aulas de ginástica foi de 1,16 ± 0,42 kcal por minuto (p<0,05). A análise dos dados demonstrou um gasto energético significantemente maior na caminhada utilizada como meio de transporte às aulas em relação ao gasto durante aulas de ginástica.

PALAVRAS-CHAVE: Caminhada, envelhecimento, atividade física, sensor de movimento, gasto energético.

download