Nível de Atividade Física e Acúmulo de Tempo Sentado em Estudantes de Medicina

Artigo publicado na Rev Bras Med Esporte – Vol. 20, No 2 – Mar/Abr, 2014.Escrito por Leandro Luiz de Oliveira Raddi, João Pedro da Silva Júnior, Gerson Luis de Moraes Ferrari, Luís Carlos de Oliveira, Victor Keihan Rodrigues Matsudo


Objetivo: Verificar, no período de dez anos, o comportamento do nível de atividade física e do acúmulo de tempo sentado em estudantes de Medicina. Métodos: A amostra foi composta por 186 estudantes do terceiro
ano em 2000-2001 (grupo I) e em 2011 (grupo II) com média de idade de 21,23 ± 1,38 anos. Os dados do nível de atividade física e do tempo sentado foram coletados através do questionário IPAQ (versões curta e longa). Os questionários foram aplicados individualmente e foram autopreenchidos. Análise estatística: Os resultados foram descritos através de frequência e porcentagem do nível de atividade física e média e desvio padrão para o acúmulo de tempo sentado. A comparação foi feita através do teste do qui-quadrado e do teste t para amostras independentes, sendo o nível de significância adotado de p < 0,05. Resultados: No período de dez anos foi encontrada uma diminuição acentuada e significante de 27,4% entre os indivíduos que atingiram as recomendações no grupo I (75,2%) em relação aos que atingiram no grupo II (47,8%). O acúmulo de tempo sentado não apresentou diferenças significantes, sendo as médias encontradas de =8,92 e =8,72 horas para dias de semana e de =7,27 e =7,70 horas para dias do fim de semana. Conclusão: Após dez anos, os estudantes de medicina apresentaram menor nível de atividade física sendo que não houve mudança no acúmulo de tempo sentado.

Palavras chave: estudantes de medicina, atividade física, sedentarismo.

download