Padrão da prescrição de atividade física realizada por médicos ortopedistas brasileiros

Artigo publicado na RBCM em 2003. Escrito por Alexandre Mader Seixas, Sandra M. M. Matsudo, Victor K. R. Matsudo,, Erinaldo L. Andrade, Glaucia F. Braggion


Objetivo: avaliar a prescrição de atividade física realizada por ortopedistas brasileiros. Metodologia: 521 ortopedistas responderam um questionário sobre prescrição de atividade física. Os parâmetros prescritos de freqüência, duração e intensidade considerados corretos foram: realizar pelo menos 30 minutos contínuos ou acumulados de atividade moderada na maioria dos dias da semana. Utilizada análise estatística descritiva. Resultados: 86,4% prescrevem atividade física para a maioria dos pacientes, sendo caminhada (97,5%) e natação/hidroginástica (96,5%) as mais prescritas. Cerca de 60% prescrevem musculação, atividades cotidianas e corrida/jogging. Caminhada apresentou os maiores índices de acerto da freqüência (18,9%), duração (62,4%) e intensidade (44,1%). As porcentagens de acertodesses parâmetros para todas as atividades prescritas foram: 8,8%, 40,3% e 35,3%. A prescrição de atividades cotidianas foi a mais vaga, com pelo menos 50% sem a definição de freqüência e duração, 40% sem intensidade definida. A maioria prescreve verbalmente e poucos usam receituário. Musculação é mais prescrita para reabilitação. Caminhada e atividades cotidianas são prescritas principalmente para prevenção de doenças. Conclusões: o ortopedista brasileiro prescreve atividade física para a maioria dos pacientes como prevenção e tratamento de doenças, geralmente de forma verbal (diminuindo sua eficácia) e pouco condizentes com a recomendação atual para promoção da saúde.

PALAVRAS-CHAVE: atividade física, médico, prescrição, saúde.

download